Este blog é um espaço de análise e opinião. Da minha análise sobre factos e coisas do dia-a-dia, e da opinião que à cerca delas vou construindo. (antónio casteleiro)           SEJA SOCIAL          PARTILHE este blog           COMENTE individualmente os textos ou passe pelo LIVRO DE VISITAS ...


Home » Editorial

A necessidade da honestidade!

24 Maio 2008 25.009 views Não Commentado

Antonio CasteleiroSer ético é respeitar a senhora idosa e o homem doente. É importar-se com o menino de rua, com a criança sem escola, com o adolescente drogado. Ser íntegro é acreditar que ninguém merece pedir esmola e que ainda é possível que a dignidade humana vença sobre a corrupção quotidiana.

Se a honestidade fosse aplicada nos hospitais, não faltariam remédios. Se fosse aplicada nas escolas, não faltaria educação. Se fosse quotidiana, uma grande parte do ser humano não seria tão triste. Se estivesse realmente presente na nossa vida, os parlamentos não seriam tão corruptos.

Um governo pode ser corrupto, mas não deixa de representar, em algum nível, o comportamento da própria população.

Ética não se ensina. Ninguém aprende a ser honesto. É por meio do exemplo que a mensagem é transmitida. É somente interiorizando a honestidade que ela se torna quotidiana, e somente tornando-a quotidiana que a honestidade consegue interiorizar-se.

Quem desiste da ética quotidiana por causa da suposta “realidade” acaba por pagar um preço alto.

 

Licença Creative Commons   Este trabalho de Antonio Casteleiro, está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.antoniocasteleiro.com

   Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Este blog é um espaço de análise e opinião. Da minha análise sobre factos e coisas do dia-a-dia, e da opinião que à cerca delas vou construindo. Sobre o que escrevo, muitos dos que me lerem estarão de acordo e muitos outros discordarão. Não há mal nenhum nisso. Assim uns e outros saibam respeitar uma opinião contraria. Antonio Casteleiro.