Este blog é um espaço de análise e opinião. Da minha análise sobre factos e coisas do dia-a-dia, e da opinião que à cerca delas vou construindo. (antónio casteleiro)           SEJA SOCIAL          PARTILHE este blog           COMENTE individualmente os textos ou passe pelo LIVRO DE VISITAS ...


Home » Editorial

O nível da amizade e ser sociável!

24 Novembro 2007 47.372 views Não Commentado

Antonio CasteleiroJá repararam que nem sempre é fácil fazer amigos? Podemos estar rodeados de muitas pessoas e, no entanto, sentirmo-nos só.

Porque, para se fazerem amizades, é necessário investir tempo, energia, e algo muito importante: partilharmo-nos nós mesmos. Isso significa mostrar honestamente que tipos de pessoa são. Gabarmo-nos e aparentar riqueza não nos permitirá ganhar amigos verdadeiros.

Para nos darmos bem com as pessoas, é necessário sermos sociáveis. Devemos ser capazes de nos ajustar razoavelmente com os outros.

Os pequenos hábitos alheios não devem provocar os maus modos ou mau-humor.

Sabemos que três é o número de amigos íntimos que a maior parte das pessoas consegue manejar bem. E esses amigos íntimos são os que realmente contam na vida. Por isso, se não é do tipo de pessoa popular que anda sempre rodeada de “amigos”, não se preocupe com isso.

É comum ouvir-se atores, cantores, desportistas, etc., pessoas famosas, confessarem que se sentem sós e que têm muito poucos amigos verdadeiros. Isso deve-se, basicamente, ao facto de existirem níveis de amizade.

Os níveis de amizade:

1. Conhecidos. Algumas pessoas têm 500 ou mais conhecidos. Quanto mais idade temos, maior é o número de pessoas que conhecemos. Conhecemos o seu nome, algo sobre a sua vida, mas fazemos muito poucas coisas juntos.

2. Amigos casuais. Este grupo pode ter até cem pessoas. Vemo-las na escola, no trabalho, nos congressos, nos acampamentos, em festas com outros amigos/conhecidos. Partilhamos com elas as mesmas experiências de grupo. Mas, certamente, não partilhamos a nossa vida, de uma forma especial com elas.

3. Bons amigos. São pessoas com quem nos agrada partilhar. Fazemos muitas coisas com elas: brincamos, vamos a reuniões e fazemos trabalhos de equipa ou projetos especiais. Partilhamos com elas algumas das nossas opiniões e sentimentos, mas não a nível profundo.

4. Amigos íntimos. Geralmente, podemos considerar amigos íntimos de uma a três pessoas. Partilhamos com eles o nosso verdadeiro eu, as nossas esperanças, os nossos sonhos, pensamentos e sentimentos mais profundos.

A parte interessante é que, com a nossa capacidade de fazer amigos, podemos mover as pessoas de um nível exterior de amizade para outro nível mais íntimo, embora, claro, seja sempre importante considerar o nosso nível de sociabilidade, não será?

Parece-me, que é fundamental, analisar sempre bem os níveis de amizades de quem nos rodeia, para os mesmos serem ou não incluídos em várias situações do dia-a-dia.

Isto é o que eu penso, na generalidade, estarei certo?

 

Licença Creative Commons   Este trabalho de Antonio Casteleiro, está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em www.antoniocasteleiro.com

   Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Este blog é um espaço de análise e opinião. Da minha análise sobre factos e coisas do dia-a-dia, e da opinião que à cerca delas vou construindo. Sobre o que escrevo, muitos dos que me lerem estarão de acordo e muitos outros discordarão. Não há mal nenhum nisso. Assim uns e outros saibam respeitar uma opinião contraria. Antonio Casteleiro.