Home » Arquivo

Pesquisa:Editorial

Editorial »

[13 Ago 2011 | No Commentado | ]
O real viver das pessoas…

A grande generalidade das pessoas vive ao nível da sobrevivência física e psicológica, movidos por impulsos instintivos, adaptam-se ao meio, vivendo ao sabor das circunstâncias, procurando furtar-se aos sofrimentos e explorando na medida do possível os prazeres que se proporcionem.
O seu comportamento é fundamentalmente reativo e uma intervenção de outro tipo é difícil de encontrar.
Olhando passivamente para o que se lhes depara, procuram apenas corresponder às necessidades básicas para se manterem vivos.
Trabalham para assegurar o seu sustento e o dos lhes estão dependentes, a diversão que procuram têm em vista …

Editorial »

[6 Ago 2011 | No Commentado | ]
A globalização !

A facilidade e intensificação das redes de comunicação favorecem a identificação pessoal. O ser define-se através do confronto com o alheio, com o outro. O estreitamento de horizontes, o fechamento no ego e no grupo restrito, impede o desabrochar das potencialidades humanas, a construção individual. Se queremos assumir a nossa verdadeira especificidade, mediante o exercício da autonomia individual, teremos de livremente trocar experiências diversificadas, de forma a descobrirmos a contribuição própria que temos a dar na construção da generalidade do mundo em que vivemos.
É por isto que, se constata que, …

Destaques, Editorial »

[30 Jul 2011 | No Commentado | ]
A solidão!

Nada somos sem os outros. A interação entre as pessoas é essencial para a satisfação das necessidades de cada um. O mundo social e cultural é resultado dessa inter-relação e sem ele não viveríamos.
Quando nos sentimos sós, ficamos por isso em crise,  em grande sofrimento, porque a vida exige a comunicação recíproca entre pessoas.
No entanto, pode estar-se rodeado de gente e mesmo assim haver um sentimento de solidão. Isso poderá decorrer de uma dificuldade de comunicação ou ainda de um temor subconsciente de que se venha a ficar sem …

Editorial »

[25 Jul 2011 | No Commentado | ]
O olhar !

O que esconde um olhar? O que traduz um olhar? Não importa a cor…
Muitos esquecem que os olhos não vêem tudo verde, não vêem tudo azul, não vêem tudo castanho, não vêem tudo negro…
Por trás de um olhar, existem mistérios a serem desvendados, com lacunas a serem preenchidas, incógnitas ‘internas’ defendidas
Um olhar calmo dá imediatamente a impressão de uma vontade que sabe o que quer e que não se deixará desviar do seu intento. Um olhar calmo e tranquilo basta muitas vezes para inspirar uma espécie de insegurança aos …

Editorial »

[18 Jul 2011 | One Commentario | ]
Ser feliz !!

Tenho defeitos, fico irritado e vivo com ansiedade algumas vezes, nunca esquecendo que a minha vida ou o estilo de vida que gosto é a “coisa” mais importante do mundo.  Trato-a o melhor possivel e busco força para o viver.
Há pessoas que me admiram e precisam de mim.
Sempre tento caminhar o caminho da “minha” felicidade, lembrando-me sempre de que ser feliz não é ter um céu sem nuvens, caminhos sem obstaculos, trabalhar sem fadiga e cansaço, viver relacionamentos sem decepções.

Ser feliz é encontrar força para perdoar, esperança nos confrontos, segurança …

Editorial »

[17 Abr 2010 | No Commentado | ]
A Anarquia não é Utopia !

Muito do que ouvimos na escola, telejornais, avós , pais, etc., sobre o conceito anárquico, principalmente nos idos anos 80, afastou grande parte das pessoas do real entendimento desta palavra… Anarquia passou a significar bagunça, rebeldia, marca de Skate, de roupa para adolescente rebelde. Enquanto algumas sufocadas vozes tentavam explicar esta palavra tão temida por governantes e nações inteiras, o mundo expurgava, através de uma mídia tendenciosa, a terrível possibilidade de algum país desavisado implantar a filosofia anarquista como doutrina política, apesar, da mesma não designar tal significado.
“Anarquismo é uma …

Editorial »

[3 Abr 2010 | No Commentado | ]
Valores fúteis e inversão de valores !

Sabemos da vida tanto quanto sabemos da morte. Não nos ensinaram nas escolas sobre dores, falências, desenganos, saudade e desencontros. Somos um bando de despreparados para o enfrentamento dos labirintos da vida.
O resultado é quando entramos na sociedade pós-moderna nos confrontamos diariamente com o predomínio de inúmeros valores fúteis. As pessoas passaram a valer por aquilo que representam, e não por aquilo que são.
Quando se chega a casa de autocarro, vale X.  Se chega num Mercedes, vale Y.
Os shoppings centers substituíram as catedrais. Hoje são os templos do consumo que …